Ver-te ao longe...


Vi-te ao longe. Mas tu não me viste.
Vi-te a caminhar na minha direcção sem dares conta que ali estava. Ao aproximares-te, cresceu aquele arrepio, fiquei paralisado, não consegui pensar…não consegui me mexer. Aproximaste mais um pouco. Muitas imagens passam-me pela cabeça. Aquela vontade de te ter…de te abraçar…de te beijar…aquela vontade de te falar. Aquela vontade de ficar a olhar para ti. Aquela vontade de querer e não poder.
Vagueio pela rua, sozinho. Apenas com um único pensamento: Tu!

Ficaste, marcaste o teu lugar no meu coração sem saberes e permaneceste. Permaneces em silêncio. E eu, apenas eu. Sozinho por aqui.

Chegaste…e olhaste para mim. Cruzamos os olhares. É agora! Chegou a altura de te confrontar… de te dizer que ainda não te esqueci…
Não! Não consigo! Cumprimentas-me e eu desisto. Estás tão perto…perco a coragem. Tenho aquele medo de cair…aquela ânsia de querer e perder. Desisti de novo. Fui embora. Não consegui olhar para trás. Porque sei que ainda lá estavas. Tão perto mas tão distante…
Cada momento que lembro…cada pensamento que penso…cada imagem que revejo…és tu que lá estás.
Continuavas a olhar. Porque estou calado? A fugir de um sentimento que sei que existe? Virei as costas a quem não esqueci… e caminhei…
Parei… pensei… e dei meia volta… fui ao teu encontro… olhei-te nos olhos mas nada te disse… não precisava… está bem explicito no meu olhar… mas desisti… não consegui…

Caminhei para longe e afastei-me…mas levei-te comigo…em pensamento…

Sou eu. És tu. Talvez um dia seremos nós…de novo… mas noutra vida… noutros corpos… noutras paragens… não aqui… porque aqui sofri demais.

(Alguns textos que coloco nos "posts" podem não reflectir o meu estado emocional, sentimental ou outro na altura da publicação, este é um bom exemplo)

3 Desabafos:

PALAVRAS AO VENTO disse...

As vezes tabém para, olho, penso e não consigo dizer nada. Coisas importantes para se dizer, mas prefiro o silêncio. O medo é maior. A verdade fica escondida.

Abraços, saudades!

Fadinha da Sombra disse...

Compreendo perfeitamente o que dizes neste post.
Tal como dizes, tal um dia noutra vida, noutros corpos as coisas aconteçam de forma diferente.

Beijitos :)

najla disse...

Ufff...gostei da nota de rodapé!
Mas o texto está demasiado real! Lindo!

bjinhos