Olhos...


Teus olhos são duas estrelas,

duas estrelas de encantar.

Em mim ainda há esperanças

de um dia voltar a amar.


Teus olhos são provas

de que és um jardim…

onde perderia horas

e dias sem fim.


Todos os dias iria admirar,

esse olhar que veio assim

e que despertou todo o amor

que guardo dentro de mim.


Teus olhos são duas estrelas,

que me guia ao escurecer

e por mais que eu tente

não consigo esquecer.


Escuros são os teus olhos,

o teu corpo é tão formoso.

Teus cabelos dão um toque especial 

ao teu sorriso tão saudoso.


Pus-me numa noite de luar,

as estrelas a olhar no céu.

A coisa que eu mais queria trocar

era o teu coração pelo meu.


A marca que trazes no corpo,

eu irei para sempre ter,

pois irei a tatuar

para nunca esquecer.


Se os sonhos fossem tão simples,

como a vontade de te ter,

nos teus olhos iria olhar

e na tua boca voltar a morrer.

10 Desabafos:

PuCCa disse...

Gosto muito da tua forma de escrever. É sentido o que escreves... Espero que sejas muito feliz porque mereces mesmo. E desculpa eu não preceber muito ainda disto do mundo dos Blogs... RIIRIIRI

Espelho meu disse...

Há coisa mais bela que morrer num beijo doce, ou afogado na beleza de um olhar?...

Lindissimo poema...como já nos term habituado!

E parabéns pelos 600...como vês já me passaste, mas também tou quase lá! LOL

Beijos*

Salto-Alto disse...

Que lindo! :) Escreves lindamente! Beijinhos!

Roberta Albano disse...

A última frase dá todo um impacto
Essa história de morrer num beijo é um drama muito bonito
=)

Vanessa disse...

Continuas em grande, porque o és!
Sempre com um texto que nos faz sentir o teu sentimento...como consegues? rsrs
É sempre um prazer vir te visitar...sempre!
Bjs

Usuale disse...

Soneto do Amor

Este infinito amor de um ano faz
Que é maior do que o tempo e do que tudo
Este amor que é real e que contudo
Eu já não cria que existisse mais.

Este amor que surgiu insuspeitado
E que dentro do drama fez-se em paz
Este amor que é túmulo onde jaz
Meu corpo para sempre sepultado.

Este amor meu é como um rio; um rio
Noturno, interminável e tardio
A deslizar macio pelo ermo...

E que em seu curso sideral me leva
Iluminado de paixão na treva
Para o espaço sem fim de um mar sem termo.


Autor: (Vinícius de Moraes)

Foi retirado pelo site:

http://www.ziipi.com/result?pesquisa=poesia+de+amor

Eliane Santoro da Costa disse...

Lindo!

Tem selinho lá no blog para vc.

"Selinho da Amizade"

Um abraço.

PALAVRAS AO VENTO disse...

Oi meu querido, que poesia linda.
O olhar é tudo, os olhos dizem tudo. Olha que linda poesia-música de Vinicios de Moraes:
"Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom
Que isso é meu Deus
Que frio que me dá
O encontro desse olhar
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus
Só pra me provocar
Meu amor juro por Deus
Me sinto incendiar
Meu amor juro por Deus
Que a luz dos olhos meus
Já não pode esperar
Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus
Sem mais lá rá rá rá
Pela luz dos olhos teus
Eu acho o meu amor
E só se pode achar
Que a luz dos olhos meus
Precisa se casar"

Muito lindo, cheio de amor e romantismo.
Bjs

Anjo Negro disse...

O teu poema é LINDISSIMO ...
Adoro essa foto/imagem, andei com ela no telele 2 anos ...

Beijos Anjo Negro

Isa disse...

Gostei muito de passar por aqui.
Voltarei