...coração que arde!


Tenho-te nos meus sonhos…

Deixo-me embalar em intermináveis momentos vividos,

que ficaram tatuados nos nossos corpos…

Lembranças e sonhos que ficaram

dos quais não quero acordar.

Sinto a brisa da manhã,

a percorrer, lentamente, a minha pele

que ainda tem o teu cheio,

o teu toque, a tua carícia,

que me abraça e que me arrepia,

que desliza como néctar de luxúrias quentes,

como o eterno beijo que me prende,

hipnotiza e que ainda me faz vibrar...

Tudo o que há em mim,

são explosões titânicas de lembranças

dos nossos corpos juntos...

Conquistas-me com as lembranças que ficaram,

e que fazem percorrer na imensidão

do meu coração ferido e ainda teu.

Lembro aqueles olhares que se trocaram,

e que emanaram brilhos de um amor perigoso.

Viajei no teu corpo e me perdi...

Fluidos se soltaram e que geram candelabros de fogo...

Metas de êxtase, feitas de respirações ofegantes,

Gestos, carícias, olhares e toques de plena magia.

O teu corpo foi espaço que me albergou e me deu prazer

e ainda dá mas só em recordações.

Abraços intermináveis em lençóis de algodão,

corpos colados que se encontraram e fizeram-me acreditar.

Sinto uma esperança cega, transporto como herança,

nesta aurora que lentamente desperta e que

 é testemunha que ainda bate um coração que sorri

 sempre que a tua imagem é relembrada.

Cadências aceleradas, soltas por impulsos de desejos secretos.

Continuo à procura, incessante, de ser feliz.

Evito este amargo acordar,

nesta realidade que transpira saudade...

Olho em meu redor e só restaram as lembranças...

do primeiro beijo...

do primeiro toque...

da primeira noite e da ultima.

 Acabou...

da mesma forma que tudo começou...

Talvez fosse melhor...

Esquecer de vez...

O que eu senti quando te vi...

o que percebi quando te senti…

…mas o coração não o permite.

Ele sussurra-me:

“Não quero esquecer quem amei, da maneira como amei…

…da maneira como ainda amo…”

Como irei contradizer o que me dá

a alegria de estar vivo e sonhar?

Como irei contradizer quem alberga aqueles

de quem eu gosto? Daqueles que me ajudam?

Como irei contradizer ou exigir que ele se cale?

Não posso… só me resta sussurrar-lhe também:

“Um dia seremos felizes… um dia irei encontrar quem

nos ame tal como nós já amámos!”

Mas eu sei… mais do que o meu desejo…

é o meu coração que arde!

5 Desabafos:

Espelho meu disse...

Cada vez mais ao melhor nível! :D
Parabéns!

Como percebo tudo aquilo que aqui retratas, porque também eu já fui tatuada...

...mas felizmente elas também se dissipam com o tempo, até as deixarmos de ver...

Esse dia chegará meu amigo e terás direito a partilhar o sol e a estrela com alguém...! :)

Grande beijinho*

*Lisa_B* disse...

Lindo amigo,
concordo com a Cátia, ela sabe das coisas :-)
Pois é e quando se pensa que nunca mais vai aparecer alguém assim , que seja tão intenso e bom...pois, aparece melhor ainda...há que dar a oportunidade e saber que quando se encontra a pessoa certa não ter medos que a possam afastar...deixar fluir...
Linda poesia no entanto que o sofrer consegue fazer sair tudo cá para fora...parabéns.
Beijinhos e força

Maria.c.f.p.c@hotmail.com disse...

Sempre presente e sempre atenta......Paixões mál resolvidas na memória duram máis,,,,tem que acabar para se puder recomeçar.
A vida é feita de encontros e desencontros e´só valorizamos o BOM depois de ter passado pelo máu.
HÁ QUALQUER COISA QUE ME DIZ QUE VEM AÍ MUITA COISA BOA....
UM BEIJO
MARIA

Roberta Albano disse...

o amor só é infinito em sua intensidade
e nao em seu tempo
pq tudo tem um fim, de um jeito ou de outro

najla disse...

Lindo texto!
Sentido, verdadeiro.

A frase na imagem é tão mas tão verdade...até nós, um dia, vermos o verdadeiro significado da vida!

beijo